blog >>> Investimentos

Como investir em CDB: tudo que precisa saber [Guia Prático]

por Redação Xpeed 29/11/2021

Investimentos em renda fixa passam por um momento de grande popularidade, entre os quais temos o CDB em grande destaque, considerando o baixo risco, rendimento superior ao da poupança e abertura para compras nominativas.

No entanto, para ter bons resultados, é essencial saber como investir em CDB, conhecendo suas principais características e indicadores, para ficar atento ao momento ideal em que cada aplicação disponível se torna uma opção válida.

Cada perfil de investidor tem motivos únicos para aplicar em CDB. Por um lado, temos investidores iniciantes, buscando uma forma segura para aplicar seu dinheiro e entender como tudo isso funciona.

Do outro, temos investidores mais experientes, que aproveitam a renda fixa para diversificar sua carteira, criar reservas de emergência e executar projetos mais específicos.

Pronto para conhecer melhor essa aplicação e entender de uma vez por todas como investir em CDB do jeito certo? Então venha aprender conosco!

O que é o CDB

A sigla CDB significa Certificado de Depósito Bancário, é um título público nominativo, onde o portador de um CPF “empresta” o seu dinheiro ao banco para que ele possa operar outros fundos de investimento e ativos diversos.

Para compensar o investidor, a instituição financeira fará o pagamento da quantia aplicada com a adição dos juros previstos no momento da compra do título.

O CDB pode ser encontrado em três modelos diferentes:

  • pré-fixado: o rendimento toma como base um indexador ou taxa fixa, portanto, já é conhecido o quanto deve render até a data de vencimento prevista no contrato;
  • pós-fixado: na variação do CDB pós-fixado, o rendimento é atrelado a um indexador que pode variar durante o período de vigência do contrato, como o CDI e a Taxa Selic, assim, é possível criar uma projeção de rendimento com base no histórico recente do indicador;
  • híbrido: alguns investimentos em CDB podem se dividir em uma porcentagem pré-fixada e outra pós-fixada, a fim de aliviar riscos e otimizar resultados.

Vale citar ainda que todo investimento feito no CDB, independentemente da variação, é protegido pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC). Isso significa que, no caso da instituição financeira na qual seu dinheiro foi aplicado quebrar, você será ressarcido pelo FGC, desde que a aplicação cumpra alguns requisitos.

Quais são os requisitos do FGC?

O valor máximo ressarcido pelo FGC é de R$ 250 mil, somando investimento e rendimento, por cada instituição financeira, ou seja, se uma pessoa tiver aplicado em mais de um banco e eles declararam falência, você pode recuperar até R$ 250 mil de cada um deles.

Mas atenção: o FGC toma como base instituições do mesmo conglomerado como uma entidade única, o ressarcimento total tem teto de R$ 1 milhão, válido para um período de 4 anos.

Quer saber mais sobre como funciona o FGC e os investimentos protegidos por ele? Assista o vídeo abaixo:

Principais características do CDB

Antes de mostrar como investir em CDB, vamos abordar as principais características dessa modalidade de investimento. É conhecido que a rentabilidade e liquidez são os maiores atrativos do CDB, mas o que isso significa em números reais? É o que veremos a seguir.

Qual a rentabilidade do CDB?

Para saber qual a rentabilidade do CDB, precisamos observar novamente os três modelos desse investimento, ou seja, se é um CDB pré-fixado, pós-fixado ou híbrido.

Nos títulos pré-fixados, a taxa de rendimento é conhecida desde o início, ou seja, quando ocorre a compra do título, o investidor sabe que no vencimento irá receber o valor aplicado mais os juros previstos, independente das variações do mercado.

No pós-fixado, o rendimento é determinado por um indexador variável, normalmente o CDI e a Taxa Selic. Vamos supor que você faça uma aplicação de R$1.000 em um CDB pós-fixado com rendimento previsto de 105% do CDI. A taxa de juros flutuante então pode alterar o valor do resgate.

Existe valor mínimo para investir no CDB?

O valor mínimo para aplicação em CDB depende de cada oferta, tomando como base o prazo de vencimento, taxa de retorno e a instituição financeira. Em geral, recomenda-se um investimento mínimo de R$1.000 reais para garantir um retorno mais notável.

Qual a liquidez do CDB?

Alguns CDB podem apresentar liquidez diária, realizando o pagamento do rendimento obtido entre a aplicação e o resgate antes do vencimento. No entanto, títulos com vencimento de longo prazo não costumam apresentar liquidez e, portanto, não são opções viáveis para resgate antes de vencer.

Por esse motivo, essas aplicações com baixa liquidez não devem ser utilizadas para compor uma reserva de emergência, já que fazer a retirada antes da hora, se for preciso, pode gerar um prejuízo considerável ao investidor.

Custos, Taxas e Impostos do CDB

Aplicação no CDB não está sujeita a taxas de administração e corretagem na maioria das instituições que cuidam desse tipo de ação, é o caso da XP Investimentos e da Rico. No entanto, existe a cobrança do IOF e Imposto de Renda, ambos calculados com base apenas no rendimento obtido.

Para o IOF, a tabela regressiva de alíquota é a seguinte:

Dias após aplicação Alíquota Dias após aplicação Alíquota
1 96% 16 46%
2 93% 17 43%
3 90% 18 40%
4 86% 19 36%
5 83% 20 33%
6 80% 21 30%
7 76% 22 26%
8 73% 23 23%
9 70% 24 20%
10 66% 25 16%
11 63% 26 13%
12 60% 27 10%
13 56% 28 6%
14 53% 29 3%
15 50% 30 0%

Após trinta dias, o rendimento é isento de cobrança do IOF.

Já para o Imposto de Renda, a alíquota varia de 22,5% a 15%, diminuindo gradativamente de acordo com o tempo de duração da aplicação. Nesse caso, a tabela regressiva do IR é a seguinte:

Período Alíquota
Até 180 dias 22,5%
181 a 360 dias 20%
361 a 720 dias 17,5%
Acima de 720 dias 15%

Lembrando que a alíquota é calculada sobre o valor do rendimento, desconsiderando o valor aplicado.

As vantagens e desvantagens do CDB

O CDB é um modelo de investimento de renda fixa, o que faz dele uma opção ideal para investidores iniciantes e conservadores, que gostam de ter uma projeção segura dos seus valores aplicados ou que ainda estão no processo de entender as mecânicas do mercado.

Também contamos como ponto positivo a popularidade desse tipo de aplicação. Como a compra de títulos do CDB é aberta para pessoas físicas, muitas estão pesquisando como investir no CDB para avaliar se o momento é apropriado para tal.

Além disso, há uma grande variedade de CDB disponíveis para investimento, cada opção com risco e rentabilidade específicas. Atualmente, corretoras de investimento podem reunir opções de CDB de diversas fontes, permitindo uma análise simplificada por parte do investidor interessado.

Por fim, é válido citar a cobertura do FGC, que permite a recuperação de até R$ 250 mil reais em casos de falência da instituição financeira na qual você tem títulos CDB ativos.

Mas nem tudo são flores, sombra e água fresca, com seu dinheiro trabalhando por você. A cobertura do FGC leva em conta o valor aplicado, o rendimento e também outros valores que tem naquele banco, incluindo poupança e conta corrente.

Também é válido citar que o ressarcimento pode levar meses, o que pode deixar o investidor em uma situação delicada, mesmo que temporariamente.

Por fim, temos que entender que a rentabilidade do CDB é atrelada ao risco da instituição que o oferece. Quando um banco oferece títulos do CDB, ele quer atrair o investidor pela segurança ou rentabilidade.

Bancos maiores e consolidados são interessantes, pois dificilmente vão quebrar de uma hora para outra. Já que o risco é baixo, esses títulos têm rendimento modesto, ainda acima da Poupança, mas abaixo do que um banco menor pode oferecer, para compensar o risco.

Em resumo, as vantagens e desvantagens do CDB são:

Vantagens Desvantagens
  • Cobertura do FGC;
  • Poucas tributações;
  • Está entre os melhores rendimentos das opções de renda fixa;
  • Amigável para iniciantes e conservadores;
  • Ótima opção para investidores arrojados ou moderados diversificarem sua carteira;
  • Serve para criar reserva de emergência.
  • Para melhor rentabilidade, é necessário correr mais risco;
  • É necessário ficar atento aos requisitos para ressarcimento do FGC;
  • Ressarcimento do FGC não é imediato;
  • Opções sem liquidez diária são ruins para resgate antecipado.

Como investir em CDB em 5 passos

Entendeu todas as informações e quer saber como investir em CDB? Então vamos lá:

  1. Abra sua conta em uma corretora de investimentos: corretoras digitais são ótimas opções para quem deseja investir com praticidade e segurança. A maioria oferece contas gratuitas, então vale a pena testar, não é mesmo?

A XP oferece conta gratuita e diversos recursos para quem deseja dar seus primeiros passos no mundo dos investimentos. Clique aqui e abra sua conta!

  1. Defina o valor do investimento: transfira para sua conta o valor a ser investido, lembrando que o valor mínimo ideal fica entre R$ 500 e R$ 1 mil, variando de acordo com a opção selecionada;
  2. Acesse a plataforma e busque pelos CDB: no aplicativo da corretora, entre nas opções de Renda Fixa e filtre os resultados para mostrar as opções de CDB disponíveis para aplicação;
  3. Analise as propostas: você sabe como analisar um CDB? Para isso, observe fatores como tipo de produto (pré-fixado, pós-fixado ou híbrido), duração do investimento, data de vencimento, taxa de rendimento e valor mínimo. Além desses dados, o CDB pode ser classificado de acordo com o risco, sendo necessário avaliar a reputação e saúde da instituição financeira, para avaliar sua viabilidade.
  4. Hora de investir: Colocou tudo no papel, escolheu a opção mais vantajosa para o seu momento? Então é só comprar a ação. Normalmente, a compra de títulos CDB é feita em horário bancário, mesmo que esteja acessando por uma plataforma digital.

Prontinho, em cinco passos você já se torna um investidor no CDB! Nesse ponto, só resta esperar a data de vencimento para resgatar os seus rendimentos. Você já deve estar ansioso, não é?

>>> E quem ainda não está muito certo sobre aplicar ou não e quer entender mais sobre renda fixa? Bom, se o mundo dos investimentos te interessa e quer saber mais sobre ele antes de colocar o seu suado dinheirinho em risco, faça um curso da Escola de Investimentos Xpeed!

Imagem da campanha de um curso online sobre "Renda Fixa: Ganhos com Baixo Risco" da Xpeed School.

Chegou a hora de dar um novo significado para o seu dinheiro. Com o conhecimento certo, você tem a chance de desenvolver sua educação financeira a ponto de criar uma relação muito mais saudável com seus ganhos e até com os boletos.

Você não precisa limitar suas economias com a caderneta de poupança, existem formas mais seguras e rentáveis para investir seu dinheiro, que também podem ser gerenciadas com mais facilidade. Não sabe por onde começar? Vem com a Xpeed School, nós mostramos o caminho!

Redação Xpeed

>>> Newsletter

Informações, novidades e conteúdos exclusivos diretamente no seu e-mail.