blog >>> Empreendedorismo

Como investir dinheiro com segurança? Dicas para renda extra!

por Redação Xpeed 09/10/2021

Uma das principais preocupações de quem investe é: “como investir dinheiro com segurança?”.

Não à toa, segurança é um dos 3 pilares do que é conhecido como o tripé dos investimentos.

Aliás, para quem ainda não sabe, os outros 2 pilares são rentabilidade e liquidez.

Como o assunto neste texto se trata de como investir dinheiro com segurança, então justamente esse será nosso foco.

Então, se essa uma das suas principais preocupações – senão a principal – ao investir, fique por aqui até o fim deste conteúdo.

 

Como começar a investir?

De uma forma enxugada, para começar a investir, vale seguir passos como estes:

  1. Entenda os conceitos renda fixa e renda variável;
  2. Estude os investimentos (públicos e privados) disponíveis no mercado;
  3. Procure a corretora que melhor se encaixa no seu perfil e cadastre-se;
  4. Avalie os produtos ofere­cidos e o suporte dessas instituições;
  5. Estabeleça um perfil e mantenha sempre uma carteira bem diversificada a fim de reduzir os riscos do seu portfólio;
  6. Escolha uma gestão profissional se preferir ou não tiver tempo para acompanhar o mercado;
  7. Construa sua própria re­serva de emergência;
  8. Transforme o ato de poupar em uma rotina e deixe o dinheiro trabalhar para você.

Esse é um dos caminhos que você pode escolher para começar a investir.

Inclusive, temos um curso completo que apresenta os passos iniciais para você começar a investir:

Imagem da campanha de um curso online sobre "Começar a Investir na Bolsa de Valores" da Xpeed School.

 

Como investir dinheiro com segurança?

Mesmo com as dicas que mencionaremos a seguir, seja qual for o caminho que escolherá para si na hora de investir, o mais importante é que você sempre entenda e saiba o que está fazendo.

 

1. Entenda os conceitos de renda fixa e renda variável

Primeiro de tudo, compreender esses dois conceitos já te fará perceber qual dessas categorias possui mais investimentos com maior nível de segurança.

Então, saiba que o universo dos investimentos pode ser classificado nestes 2 grandes grupos:

  • Renda fixa;
  • Renda variável.

No caso da modalidade de renda fixa, o investidor empresta dinheiro ao Governo Federal ou a uma instituição financeira.

Em troca, recebe o pagamento de juros sobre o capital investido de acordo com o prazo pré-estipulado.

Uma certa parcela dos títulos nessa categoria possui a tal garantia do FGC (Fundo Garantidor de Crédito) para valores até R$ 250 mil por instituição financeira e outros com a vantagem de serem isentos de IR (Imposto de Renda).

Na modalidade de renda variável, o investidor se tornará sócio de uma companhia ao efetuar a compra de uma ação.

Em troca, pode receber a distribuição de dividendos provenientes dos lucros das empresas de capital aberto listadas na B3, a Bolsa de Valores do Brasil.

Porém, diferentemente dos títulos de renda fixa, não é possível mensurar a rentabilidade de uma ação ao longo do tempo.

Por isso, esses ativos são considerados investimentos de alto risco, mas podem apresentar altos retornos no médio ou longo prazo.

Leia também: COE: o que é, funcionamento e vantagens

 

2. Saiba o que é o tripé dos investimentos

Dentro do mercado financeiro, há uma regra básica que se chama tripé dos investimentos, que contempla os 3 fatores principais a serem analisados antes de você fazer qualquer aplicação:

  • Rentabilidade: é o retorno obtido com o investimento, ou seja, o quanto você ganha por deixar seu dinheiro aplicado nele;
  • Liquidez: é a facilidade com que um ativo pode ser transformado em dinheiro quando necessário, sem gerar perdas – em outras palavras, o quão rápido você consegue resgatar seu dinheiro investido;
  • Segurança/Risco: é a probabilidade de que o retorno do investimento seja maior do que o esperado e positivo (segurança); ou, pelo lado do risco, de que o retorno seja menor ao espero e até mesmo negativo.

Entenda de cara e guarde para sempre contigo que é muito improvável que um investimento seja muito bem-sucedido nos 3 pilares – o máximo que os ativos conseguem é desempenhar um ótimo papel em 2 deles.

Então, toda vez que você for aplicar seu dinheiro, deverá considerar esses 3 critérios com as seguintes lógicas:

  • Quanto maior a rentabilidade esperada, menor tende a ser a segurança (ou seja, maior o risco);
  • Quanto maior a rentabilidade esperada, menor tende a ser a liquidez;
  • Quanto menor a liquidez, menor tende a ser a segurança (maior o risco).

Por isso, se você quiser resgatar o seu dinheiro investido em pouco tempo e uma modalidade mais segura, terá que se contentar com um rendimento menor.

Por outro lado, quanto mais tempo você deixar o dinheiro aplicado, maior será o retorno do investimento.

Isso mesmo: deixar um valor aplicado no longo prazo é um dos modos mais eficientes em como investir dinheiro com segurança.

 

3. Conheça seu perfil de investidor

Estudado o que foi sugerido nas duas primeiras dicas, agora busque identificar seu próprio perfil de investidor.

Isso te dará a arma necessária para que entenda cada vez mais quais investimentos têm mais a sua cara e quais nem tanto.

Aliás, vale lembrar que o nosso perfil de investidor tem muito a ver com nosso momento de vida e nível de conhecimento e prática no mercado financeiro.

Portanto, se hoje você é um investidor conservador, saiba que em alguns meses você pode logo se tornar um investidor moderado, por exemplo.

O resultado da sua evolução de perfil dependerá bastante do quão você se dedica e lida com o mundo dos investimentos.

A seguir, falaremos de forma breve o que abrange cada perfil de investidor:

Conservador: este tipo cobre grande parte da população. Como a prioridade desse investidor é preservar recursos, não assume riscos que possam comprometer sua riqueza e não tolera a falta de liquidez de qualquer ativo;

Moderado: já aqui há algum grau de risco aceito, o que permite obter rentabilidade superior à média do mercado. Mas para manter uma carteira relativamente blindada de risco, esse perfil investe em diversos ativos, muitos sendo de renda fixa;

Arrojado: esses investidores prezam pelo máximo de rendimento, assumindo alto grau de risco. Só que, normalmente, essa parcela mínima do mercado conhece muito bem o ambiente em que estão e, então, amenizam o risco devido à expertise no setor.

 

4. Conte com a ajuda de um especialista

Seja um profissional da área de investimentos e/ou mesmo uma instituição financeira, dedique um tempo para encontrar alguém que te ajude a saber como investir dinheiro com segurança.

Ter essa pessoa ou empresa ao seu lado não é só porque, no caso, ela deve ter mais conhecimento que você sobre esse mundo, mas também te ajuda a se manter firme nessa (possivelmente) nova jornada.

Ou seja, trazer esse especialista para perto significa acréscimo de conhecimento, experiência e estímulo para o lado financeiro da sua vida.

Aproveitando essa dica, saiba que a Xpeed (braço da educação da XP investimentos) e todo o grupo XP (Rico e Clear, por exemplo) estão aqui para te oferecer o máximo de qualidade sobre o mercado financeiro.

Seja com cursos, publicações, lives, conversas e outras diversas formas de estarmos em contato com você, estamos aqui para pegar na sua mão e levá-lo a bordo da melhor jornada financeira possível.

 

5. Descubra como funciona cada investimento

Mesmo com a ajuda de um especialista, é interessante que você mesmo vá atrás e conheça como funciona cada investimento no mercado – ainda mais aqueles que têm mais chances de serem sua escolha.

Dessa forma, mesmo que em algum momento ou em mais de um você possa optar por aplicações (ligeiramente) mais arriscadas, ter noção de como ela opera, te dará uma tranquilidade maior do que se investisse em um ativo totalmente desconhecido por você.

Então, procure saber o máximo de detalhes possível sobre cada um, mas com calma – não precisa correr para isso.

Com o tempo você vai pegando a prática e o ritmo de tudo.

 

6. Invista de acordo com o seu perfil

De nada adianta ter conhecimento do seu perfil e dos investimentos em si, se na hora de investir de fato não escolher aquelas aplicações que mais fazem sentido para sua realidade e objetivos, não é mesmo?

Assim, não vá fazer uma aplicação que tenha nada a ver com seu estilo só por impulso.

Talvez em algum momento você se sinta inclinado a fazer um investimento só porque todos estão falando e indo nele, mas cautela.

Lembre-se sempre que o que funciona para uns não, necessariamente, funciona para todos.

Cada investidor possui seu perfil e fase de vida, então o que pode ser ótimo para muitos, pode ser ruim para alguns, e por aí vai.

 

7. Diversifique sua carteira de investimentos

Essa talvez seja a forma mais eficiente para colocar em prática o tal do “como investir dinheiro com segurança”: diversificar sua carteira.

“Mas o que isso significa?”

Bom, quer dizer não colocar todo o seu dinheiro em um lugar só – pelo contrário, colocar em mais de um ativo.

Isso porque se você investir (quase) tudo em apenas uma alternativa, os riscos de adquirir um retorno abaixo do que gostaria são maiores.

Exemplo: você investiu todo seu capital num ativo atrelado à taxa Selic, e essa taxa está em queda contínua por meses a fio.

Tal cenário vai te trazer perdas consideráveis, podendo até deixar no negativo.

Porém, há uma ótima saída para evitar esse tipo de frustração: dividir seu dinheiro em diferentes aplicações com rentabilidades variadas.

A partir desse momento, se um investimento não trouxer o retorno que você deseja, outros podem compensar esse resultado com rendimentos melhores, captou?

Por isso, a carteira de um investidor deve estar em constante atualização e acompanhar tanto os movimentos da economia quanto o seu momento de vida.

Redação Xpeed

>>> Newsletter

Informações, novidades e conteúdos exclusivos diretamente no seu e-mail.