blog >>> Educação financeira

O que é caderneta de poupança? Entenda tudo!

por Redação Xpeed 19/10/2021

Se você está se perguntando “o que é caderneta de poupança?”, saiba que se trata do mesmo assunto quando falamos de poupança, a considerando como um produto financeiro.

Seja chamando de caderneta de poupança ou apenas poupança, o fato é que até hoje esse ativo gera controvérsia, já que as qualidades dele como ‘investimento’ não condizem com toda atenção que os brasileiros o entregam ao investir nele.

Para que entenda não só o que é caderneta de poupança, bem como tudo de importante que a envolve, explicaremos melhor esse contexto todo a seguir.

 

O que é caderneta de poupança?

É um tipo de conta bancária que você pode abrir para guardar seu dinheiro e ainda ganhar um percentual sobre o valor aplicado, funcionando como um investimento.

Nela, você pode sacar o seu capital a qualquer momento – ou seja, alta liquidez – e fazer transferências entre contas do mesmo titular e até via DOC ou TED.

Muitas vezes, essa ‘conta poupança’ é junta de uma conta corrente, servindo para serviços rotineiros, como pagamento de boletos.

A propósito, é justamente toda essa movimentação que torna a poupança mais uma conta do que um investimento em si.

Além disso, essa versatilidade da poupança, com a praticidade, a comodidade e a liquidez oferecidas, é o que faz dela tão popular entre os brasileiros.

 

Qual é o rendimento da poupança hoje?

Como adiantamos, não pararíamos apenas no “o que é caderneta de poupança?”, então vamos agora ao rendimento desse produto financeiro.

De 2012 para cá, os juros pagos pela aplicação passaram a depender do valor da taxa Selic (a taxa básica de juros brasileira), com acréscimo da TR (Taxa Referencial).

Assim, segundo o Banco Central, a remuneração dos depósitos de poupança pode acontecer de 2 formas:

  • Taxa Selic superior a 8,5%: 0,05 x valor aplicado + TR;
  • Taxa Selic igual ou inferior a 8,5%: 0,70 x taxa Selic + TR.

Com a Selic em 6,25% atualmente (outubro/2021), o rendimento da poupança segue a regra da segunda forma mencionada acima.

Então, o rendimento da poupança, hoje, se dá da seguinte maneira:

  • 0,70 x 6,25% + TR (0).

Como a taxa referencial está em 0%, o rendimento da poupança é de 4,37% ao ano.

 

Como calcular os juros da poupança?

Para calcular os juros da poupança e, dessa forma, descobrir o quanto terá rendido a cada mês (‘aniversário da aplicação’), você precisa utilizar a fórmula dada no tópico anterior.

Lembrando: 0,70 x 6,25 (taxa Selic atual) + TR (0).

Como a rentabilidade da poupança depende do valor da Selic e da Taxa Referencial, você precisa conhecer esses números mais atuais para fazer o cálculo dos juros da poupança.

Não sabe como encontrá-los?

Geralmente, basta jogar a pergunta sobre esses valores num site de busca ou nas páginas do site do Banco Central, como já citado aqui.

Voltando ao rendimento da poupança… como ela se dá a cada 30 dias, se você sacar o dinheiro da sua conta antes de fechar os 30 dias mais recentes, perde o rendimento desse último mês.

Por exemplo, suponha que você faz uma aplicação todo dia 10 de cada mês, tendo começado em janeiro de 2021 e feito a última em 10 de outubro deste mesmo ano.

Desse modo, se você saca seu capital no dia 19 do mesmo mês ou em qualquer outro dia antes do 10 de novembro, não contará com a porcentagem de ganho, pois esses últimos 30 dias não ‘fizeram aniversário’.

Um ponto bastante curioso é que caso você faça depósitos em datas diferentes em cada mês, sua conta, então, pode ter mais de uma data de aniversário, o que é bastante comum.

 

Por que sair da poupança?

Assim que entendido o que é caderneta de poupança e como o cálculo desse rendimento funciona, é necessário enxergar por que sair dela.

Dessa forma, os motivos para sair da poupança podem se resumir a 5 principais:

  • Rendimento muito baixo;
  • Aniversário de depósito;
  • Não é o mais seguro como muitos podem pensar;
  • Falta de diversificação de carteira.

O primeiro fator não se deve só a momentos em que a taxa Selic está baixa, mas também por, no cálculo completo para saber quanto seu dinheiro aplicou de fato rendeu, ainda ter o desconto da inflação de momento.

Por exemplo, apesar de na operação numérica feita acima ter apontado um rendimento de 4,37%, descontada a inflação – que diz respeito aos preços dos itens básicos -, o ganho real fica ainda menor.

Terminando o cálculo, o rendimento real é de 3,21%, pois: Rendimento da poupança – IPCA (inflação) atual = Rendimento Real.

O valor da inflação considerado foi de 1,16%, o último registrado (em setembro de 2021) até a publicação deste conteúdo.

O segundo motivo mencionado se faz negativo em relação à caderneta de poupança, porque grande parte dos ativos financeiros não precisam esperar passar 30 dias para ter algum nível de rendimento.

Agora, sobre terceiro ponto, ele acaba sendo ‘argumento’ alegado por quem desconhece investimentos além da poupança.

Se você buscar saber mais sobres produtos financeiros como os do Tesouro Direto e os CDBs, descobrirá esses se sobressaem sobre ela.

Por fim, a poupança realmente não apresenta diversificação de carteira – regra de ouro do mercado financeiro.

Isso porque quem investe nela costuma parar por aí, se atendo a uma alternativa, além dessa aplicação ser um ativo único, diferente do que acontece com o Tesouro Direto e os fundos de investimento, por exemplo.

Esses últimos dois exibem mais de uma opção dentro deles, sendo compostos de uma forma mais bem equilibrada, que aumenta a probabilidade de ganhos e, assim, reduz os riscos de perdas.

No vídeo abaixo, a Clara Sodré, especialista em investimentos, oferece alguns passos para você se planejar e sair da poupança. Confira!

 

Quais investimentos são melhores que a poupança?

“Está bem, entendi o que é caderneta de poupança, por que sair dela, mas quais investimentos são superiores a ela?”

Pois bem, é essa resposta que você terá agora por meio da sugestão de algumas opções.

Então, para você que se adequa ao perfil de investidor mais conservador e, portanto, em saindo da poupança, não quer ir para um ativo mais arriscado, fica tranquilo.

Neste ponto, apresentaremos aplicações que ainda fazem parte da renda fixa, mas são mais interessantes que a poupança.

O que muitos brasileiros que investem só nela não sabem, é que as principais vantagens da caderneta de poupança não são exclusivas.

Isso significa que há, sim, ativos que se mostram tão seguras e líquidas quanto ou mais.

Não bastassem vencê-la nesses dois pontos, também costumam oferecer rentabilidades mais atrativas.

Veja só.

 

1. Tesouro Direto

Já mencionamos essa alternativa durante este texto algumas vezes e agora abordaremos o que o envolve.

Para quem ainda não o conhece, o Tesouro Direto é um programa do Tesouro Nacional que negocia títulos públicos federais, garantidos pelo próprio governo federal – por isso, são considerados os ativos mais seguros do mercado.

Além disso, esses investimento em títulos públicos são bastante acessíveis, sendo possível começar a investir no Tesouro Direto a partir de R$ 100.

A propósito, dentro desse programa, você encontra 3 classes de ativos:

  • Tesouro Prefixado: com ou sem pagamento de juros semestrais, tem remuneração definida no momento da aplicação – desde que faça o resgate apenas no vencimento do título. É indicado para períodos em que há tendência de queda da taxa Selic;
  • Tesouro Pós-fixado: se trata do Tesouro Selic, tendo o retorno derivado da variação da Selic. Aqui, a remuneração total do investimento só é conhecida no momento do resgate. Ao contrário do Tesouro Prefixado, é indicado para períodos em que a taxa básica de juros tende a aumentar;
  • Tesouro Híbrido: representado pelos Tesouros IPCA+, que, com ou sem pagamento de juros semestrais, está atrelado – como sugere o nome – ao IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), que mede a inflação oficial do Brasil. Esses títulos têm parte da remuneração definida no momento da compra e o restante é atrelado à variação da inflação.

Nesse sentido, essa última classe são títulos que garantem ganho real para seus investidores, pois a rentabilidade sempre está acima da inflação, diferente da caderneta de poupança.

 

2. CDB

As principais vantagens dos CDBs (Certificados de Depósito Bancário) estão ligadas à rentabilidade, ao grande número de títulos negociados no mercado e à simplicidade.

Fatores, esses, que são interessantes para investidores que vão do iniciante ao veterano.

Porém, não é as mil maravilhas, já que, por exemplo, o tempo de aplicação tem impacto direto sobre a rentabilidade do CDB e sofre a incidência do IR (Imposto de Renda).

Em alguns casos, um CDB pode representar menos de 100% do CDI – taxa usada na correção do investimento -, e em outros, superar os 120%.

Tudo isso vai depender do prazo de aplicação.

De todo modo, os CDBs são considerados bastante seguros, pois contam com cobertura do FGC (Fundo Garantidor de Crédito).

Essa cobertura significa que capitais de até R$ 250 mil por CPF por instituição financeira são preservados em caso de remuneração não paga como devido, com o máximo de R$ 1 milhão.

 

3. LCI e LCA

Tanto a LCI (Letra de Crédito Imobiliário) quanto a LCA (Letra de Crédito do Agronegócio) são relativamente similares ao CDB.

Por assim dizer, são um investimento de renda fixa, emitidos por instituições financeiras e protegidos pelo FGC.

Por outro lado, as LCIs e LCAs têm a finalidade de captar recursos do mercado para serem usados no setor imobiliário e do agronegócio, respectivamente.

Além disso, também são diferentes dos CDBs no que diz respeito a serem isentas de IR.

Para entender mais sobre LCI e LCA, confira esse artigo e esclareça as suas dúvidas!

 

Conclusão

Ao fim deste conteúdo, fica nítido que é preciso entender muito mais de o que é caderneta de poupança para saber que existem melhores alternativas, sim, em relação a ela.

Por isso, listamos diversos motivos que não fazem da poupança a aplicação mais segura e justamente os investimentos que podem contribuir mais com perfil, objetivos e retornos.

Assim, se puder, provavelmente junto a um profissional da área ou instituição financeira, você tem a oportunidade de decidir qual desses ativos financeiro faz mais sentido para sua realidade.

Imagem da campanha de um curso online sobre "Renda Fixa: Ganhos com Baixo Risco" da Xpeed School.

Redação Xpeed

>>> Newsletter

Informações, novidades e conteúdos exclusivos diretamente no seu e-mail.