blog >>> Educação financeira

O que fazer para quitar dívidas: 14 dicas seguras!

por Redação Xpeed 22/10/2021

Saber o que fazer para quitar dívidas quando a gente se depara com muitas ao mesmo tempo não é fácil.

São muitas contas em atraso acumuladas e, portanto, muita pressão em momentos como esse.

E, infelizmente, não é pequeno o número de famílias brasileiras endividadas.

Para se ter ideia, 72,9% das famílias no país têm dívidas, segundo a Peic (Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor).

Pensando em tudo isso, mostraremos 14 dicas seguras para te ajuda a sair dessa realidade e deixá-la no passado.

Aproveite para utilizar cada uma delas para se safar dessas dívidas neste fim de ano e começar o seguinte em dia.

 

1. Encontre o melhor meio para concentrar as informações

Adiantando um pouco aqui a dica sobre a qual falaremos mais no tópico 3: você precisará anotar o máximo de informações possível que você possui a respeito das dívidas, demais gastos e as receitas.

Só que para conseguir cumprir com isso, primeiro, você precisa escolher qual meio utilizará, como:

  • Caderno?
  • Planilha?
  • Aplicativo do celular?

Não existe a melhor alternativa para todo mundo nesse caso, mas existe, sim, aquela que for mais adequada ao seu estilo.

Algumas pessoas se dão melhor com planilha, outras com o caderno e até com aplicativo.

De qualquer forma, o importante é optar por um para dar seguimento à sua jornada de dívidas que ficarão para o passado.

 

2. Envolva a família nessa jornada

Seja enquanto ainda está perguntando sobre o que fazer para quitar dívidas ou um pouco mais para frente, busque envolver toda a família nesse processo – a não ser que você more sozinho ou compartilhe a morada com um amigo ou amiga.

Alguns podem até sentir vergonha de tomar essa atitude, afinal, não costuma ser fácil e, tampouco, é legal contar para um ente querido que estamos com contas em atraso.

Mesmo assim, é muito importante termos mais pessoas envolvidas num planejamento como esse, porque, além de todos entenderem o momento pelo qual se está passando, podem, juntos, remar na mesma direção.

Quando se deixa de contar algo assim, o ‘não saber’ faz com que continuemos a vida do jeito que está, o que não é bom sinal, já que foi esse estilo de vida que nos levou a essa realidade de dívidas.

Então, no momento em que essa dúvida – “compartilho ou não compartilho?” – passar pela cabeça, também lembre-se: “duas cabeças pensam melhor do que uma”.

 

3. Anote tudo que for possível

Para começar sua trilha rumo à despedida das despesas em atraso, reúna cada conta, arquivo e documento que mostre os valores que saem do seu bolso – e não esqueça de registrar as receitas mensais.

Esta etapa te ajudará a identificar quanto se deve no total e o quanto tudo isso compromete suas finanças.

Ou seja, te dará uma noção melhor de como está de fato o panorama como um todo.

A propósito, na hora de registrar cada item desse, vale classificar por ordem de atraso e urgência de pagamento.

Nesse sentido, a prioridade deve ficar para as contas que possuem a maior taxa de juros, como costuma ser o caso do cartão de crédito, já que apresentam perigo de perdas maiores mais rápido.

Se tiver alguma dúvida sobre o valor real (e atual) da dívida, busque contatar as pessoas e empresas envolvidas nesse cenário para confirmar os dados.

Assista também a “como sair das dívidas” no nosso canal do YouTube, abaixo!

 

4. Atribua metas

Uma vez que você já tem todo o cenário mais tangível, você pode começar a pensar nos objetivos.

Aqui, realmente, a pergunta “o que fazer para quitar dívidas?” deve vir à mente.

Então, observe tudo que você anotou e reflita sobre quais metas serão mais importantes para se cumprir de acordo o nível de urgência e dimensão de casa dívida.

Aliás, é nessa parte que você também definirá em quanto tempo consegue alcançá-las – ou seja, quais serão os prazos de cada uma.

Conforme o tamanho do valor da conta em atraso e o quanto você recebe por mês, por exemplo, você será capaz de ter uma ideia melhor de quanto tempo será necessário para quitá-la.

 

5. Estabeleça estratégias

É neste ponto que você está prestes a colocar tudo em prática para que chegue a quitar as dívidas.

Você já registrou o que era necessário, conversou com a família, determinou as metas, agora é pensar como realizar tudo isso.

Mas também não esquente: com os exemplos que daremos nas dicas a seguir você estará mais próximo não só de estabelecer as estratégias, bem como de praticá-las de fato.

Então, olha só…

 

6. Negocie com os credores

Antes de começar por estratégias que dependem quase que exclusivamente de você para serem cumpridas, vale apostar por aquelas em que você conta com a ‘ajuda’ de alguém.

Por exemplo, a primeira delas é conversar e negociar com as pessoas e/ou empresas para as quais deve – credores – para que se acerte questões da dívida, como:

  • Redução do valor original, se possível;
  • Prazo para quitá-la.

Em suma, peça uma proposta de pagamento dessa dívida em condições melhores de acordo com seu orçamento e metas determinadas.

Dependendo de como for essas conversas, seu caminho para não ter mais essas contas em atraso pode ficar mais perto e simples de ser feito.

 

7. Procure um(a) especialista

Está com dificuldade em cumprir cada etapa ou sente é mais difícil daqui para frente?

Então, buscar e encontrar um(a) especialista da área, seja um profissional ou instituição financeira, se faz mais do que essencial.

A propósito, mesmo que esteja seguindo bem com sua jornada, contar um suporte do tipo pode potencializar ainda mais essa trajetória.

Por isso, tenha alguém do setor do seu lado para te ajudar.

 

8. Negocie suas contas fixas

Além das dívidas, você pode muito bem ir atrás de negociar as contas fixas – considerando que essas não fazem parte daquelas em atraso – para amenizar os gastos mensais.

Assim, contas como internet, TV a cabo, telefone/celular também podem se ajustar ao seu planejamento financeiro.

Saiba que não costuma ser tão complicado, pois, na tentativa de manter clientes, as operadoras envolvidas são capazes de oferecer descontos consideráveis para a fidelização.

Caso não consiga uma oferta atrativa com as contas que já possui, é sempre válido buscar opções e ofertas nas empresas concorrentes.

 

9. Pratique a autoavaliação

Para responder à pergunta “o que fazer para quitar dívidas?”, entre uma das atitudes a se fazer, é se autoavaliar.

Começar a desenvolver a habilidade do autoconhecimento será fundamental para realizar os passos seguintes com maestria.

E, mesmo após deixar as contas em atraso para trás, seguir evoluindo nesse sentido dará mais qualidade nas suas tomadas de decisão financeira.

Por isso, invista no autoconhecimento financeiro, entendendo quais comportamentos te fizeram chegar ao cenário de endividamento, por exemplo, para que evite voltar a ele.

Botão Quero Ter o Poder do Autoconhecimento Financeiro

 

10. Consuma de maneira (mais) consciente

Apesar de sermos constantemente incentivados a consumir, não precisamos fazer isso a todo momento.

Saiba que é possível adotar um estilo de vida em que não só você possa consumir menos, mas também com mais qualidade.

Para isso, abordaremos 4 exemplos abaixo…

 

Corte gastos desnecessários

Não adiantar cumprir muito bem todo o trajeto até aqui, mas manter tendo gastos desnecessários e supérfluos.

Então, tanto na fase de quitar as dívidas quanto depois, verifique o que é possível tirar do orçamento e, de fato, tire o que estiver comprometendo suas finanças.

Situações como apagar a luz assim que sai do cômodo – se você não praticava isso antes – colaboram para esse processo como um todo.

Pode não parecer para você, mas esforços como esse realmente fazem a diferença.

 

Equilibre seus momentos de lazer

Além de procurar economizar na energia da casa, você po0de escolher seus momentos de lazer com mais cautela.

Em vez de ir ao shopping – cinema, compra de roupas e afins -, em algumas situações, opte por assistir a um filme e descansar na própria casa.

Não só isso, também evite comer fora e pedir comida por aplicativo.

Acredite: comprar os alimentos no mercado e ficar cozinhando-os em casa representa mais economia do que o contrário.

 

Tome cuidado com o cartão de crédito (parcelamentos)

Para o cartão de crédito ser um aliado do seu planejamento e não um vilão, é importante que você evite fazer compras parceladas e/ou de grandes valores nele.

Muita gente, infelizmente, acaba usando esse cartão para adquirir itens de alto valor, que vem todo já na próxima fatura do cartão ou fica parcelado em muitas vezes.

Além disso, há pessoas que possuem muitos cartões de crédito, e quanto maior esse número, maiores os riscos de os gastos saírem do controle até as dívidas voltarem a aparecer.

Então tome cuidado e use-o de forma pontual e estratégica.

 

Pesquise antes de comprar

Essa é outra dica que funciona para todos os consumidores, mas é ainda mais indispensável segui-la quando se está com contas em atraso.

Portanto, pesquise antes de comprar qualquer produto ou serviço.

“Como fazer isso?”

Veja o valor de tal item por um determinado período, seja uma semana, um mês ou mais – o quanto for necessário.

Enquanto isso, até procure saber o preço desse mesmo item em mais de uma loja, por exemplo, também analisando a concorrência.

Essas iniciativas são praticamente a garantia de que você vai encontrar o melhor preço e, assim, economizar.

 

11. Mantenha o hábito de controlar suas finanças

Não manter a prática de monitorar suas finanças pode, rapidamente, fazer você voltar à estaca zero (de antes) – isto é, à realidade de dívidas.

Por isso, não basta começar a cumprir com essas atividades, é importante dar continuidade, de modo que passam a fazer parte do seu dia a dia.

Quitar as contas em atraso não pode ser somente uma meta sua, na verdade, tem de virar um compromisso com a sua qualidade de vida.

 

12. Busque uma renda extra

Em certas situações, apenas cortar gastos desnecessários não basta.

Então, acaba sendo necessário recorrer à busca de renda extra.

Se essa for a sua situação e não sabe como adquirir mais uma fonte de renda, saiba que muitas pessoas já exercem algumas, como:

  • Preparação e venda de comidas (doces, salgados e afins), seja online, no trabalho ou em outros ambientes;
  • Transporte por aplicativo;
  • Freelancer (mais comuns nas áreas de redação e design);
  • Artesanato;
  • E o que mais você for capaz de pensar e criar…

De todo modo, investigue possibilidades de renda extra que se encaixam no seu perfil e estabeleça uma meta mensal a ser atingida.

 

13. Eduque-se financeiramente

Tudo o que está sendo escrito aqui vai te ajudar, e muito, a sair do vermelho, mas para que você siga nessa trajetória de prosperidade financeira a sua educação financeira precisa ir além.

Com isso, queremos dizer que você deve continuar consumindo conteúdos relacionados às finanças, seja por meio de vídeos, textos ou cursos.

Nesse sentido, temos para você tanto alternativas gratuitas quanto pagas, como as a seguir:

Para conferir mais conteúdos escritos, basta continuar navegando pelo nosso blog, no qual você já está ao ler este texto.

Investir em conhecimento nunca é demais e até é uma das principais formas de sair das dívidas.

 

14. Poupe até conseguir investir

Contas em atraso em vias de serem exterminadas finalmente, então está começando a sobrar dinheiro?

Isso quer dizer que sua pergunta está mudando de “o que fazer para quitar dívidas?” para “o que fazer para poupar dinheiro?”.

Ou seja, chegou o momento de você construir sua reserva de emergência – justamente para evitar de voltar ao vermelho.

Se você não sabe, reserva de emergência se trata de uma determinada quantia acumulada com o tempo que serve para ser utilizada em momentos ‘de emergência’, como já sugere o nome.

Uma vez toda preenchida, se você passar por situações como perder um emprego, ficar doente gravemente, bater o carro e outras, você terá a oportunidade de usar esse valor para esses casos.

Mas para chegar aí, é preciso não ter dívidas e reservar uma parte do salário para aplicar esse dinheiro aos poucos em cada mês.

Depois de concluir essas reserva com tudo o que você vinha poupando, agora será o momento de passar a investir de verdade.

Nessa fase, você aplicará seu capital com a intenção de fazer viagens, comprar um TV melhor e aumentar seu patrimônio, por exemplo.

Os investimentos, a partir de agora, serão pensados conforme seus maiores sonhos.

 

Conclusão

Ao ler e seguir todas essas dicas, fica mais do que evidente que grande parte desses passos precisam ser continuados para que sua realidade financeira vá além de sair do vermelho.

Suas perguntas deixarão de ser apenas “o que fazer para quitar dívidas?” para ser “o que fazer para investir melhor e melhor?”.

Assim, você conseguirá viver cada vez mais os seus grandes sonhos, que antes eram nada mais do que metas.

A Xpeed School segue muito presente aqui, disposta a te ajudar no que for possível para fazer com que dinheiro seja algo positivo na sua vida, e não negativo.

banner curso tudo sobre educação financeira

Redação Xpeed

>>> Newsletter

Informações, novidades e conteúdos exclusivos diretamente no seu e-mail.