blog >>> Educação financeira

Para o que dizer ‘adeus’ quando se pensa em finanças

por Redação Xpeed 28/12/2020

O ano está se encerrando e para começar um ano melhor, é importante dizer ‘adeus’ para alguns pontos quando se pensa em finanças.

Então, pensando em melhorar sua situação financeira, neste post, vamos listar as principais atitudes e pensamentos que precisam ficar para trás em 2020.

E aí, faz ideia do que será citado ou já sabe o que precisa descartar para 2021 quando o assunto é dinheiro?

Venha com a gente e se despeça das seguintes questões:

  • Ansiedade e fobia financeira;
  • Crenças limitantes;
  • Se restringir à poupança.

Primeiro, que se você já é ligado no blog da Xpeed, sabe que já tratamos de todos esses tópicos.

Mas sempre é bom lembrar, porque, sem eles, a caminhada rumo a liberdade financeira e prosperidade fica muito mais tranquila e acessível.

 

Ansiedade e fobia financeira

Talvez você ou muita gente não perceba, mas ansiedade e até mesmo fobia financeira afetam bastante a vida dos brasileiros.

E é de se imaginar, mesmo para quem ainda experienciou situação semelhante, que quando se passa por ansiedade e fobia ao realizar determinada atividade, se torna mais difícil cumpri-la bem.

Para se ter ideia da parcela de brasileiros que acabam lidam com esse tipo de realidade, abaixo seguem alguns números:

  • 39% se sentem culpados e ansiosos quando o assunto é dinheiro;
  • 46% afirmam ter frequentemente ansiedade em relação à própria situação financeira;
  • 2 em cada 3 pessoas declaram sentir algum cansaço por conta das preocupações financeiras;
  • 39% dizem adiar decisões financeiras por medo de encarar as próprias finanças.

Tais resultados foram levantados em pesquisa feita pelo Instituto Locomotiva, a pedido da Xpeed, parte educacional do grupo XP Inc.

O estudo foi realizado com 1.500 pessoas em outubro deste ano e divulgado em novembro.

Não obstante, especialistas envolvidos no setor contam que muitas pessoas pedem ajuda para melhorar sua relação com o dinheiro, sem mesmo ter noção de que pode possuir ansiedade ou fobia financeira.

Então, se despedir de algo que nem mesmo grande parte do público consegue identificar muito bem se torna mais complicado.

Por isso, é importante ter ideia do assunto e do que ele realmente se trata.

Só a partir daí, o próximo passo pode ser dado.

Para as autoridades no tema, há alguns pontos a serem cumpridos para que a ansiedade e fobia financeira fique para trás, como:

  • O reconhecimento do problema;
  • A busca por e acesso à informação;
  • A abertura de espaço para diálogo;
  • O pedido de ajuda.

Esses pontos e o assunto ansiedade e fobia financeira como um todo já foram discutidos aqui no blog.

Por conta disso tudo, analise se a ansiedade ou fobia financeira está presente em você.

Se sim, reconheça o problema e procure por mais informação para entender melhor pelo que está passando.

Em seguida, peça ajuda e vá atrás de alguém que realmente possa ajudá-lo de forma profissional.

Assim, em 2021, as chances de você não enxergar as finanças como um grande dificuldade na sua vida são menores.

As despedidas necessárias em finanças

 

Crenças limitantes

Já ouviu ou sabe do que tratas as crenças limitantes?

Antes de falarmos exatamente ‘tchau’ para elas, vamos entender o que são.

Então, crenças limitantes dizem respeito àquelas ideias que ficam na nossa cabeça e acabam se tornando uma ‘verdade absoluta’ na nossa vida, muitas vezes.

Mas como isso acontece?

Com o decorrer da nossa vida e, em grande parte, quando ainda somos crianças e nos formando como pessoas.

Pois é nessa fase que mais somos influenciados tanto por pessoas quanto experiências que vivenciamos.

Desde lá, começam a surgir os modelos mentais, que nem sempre condizem com a realidade.

Para ficar ainda mais simples de entender, há 3 tipos de crenças limitantes. São elas:

  • Crenças hereditárias: vêm dos seus pais e sistema familiar;
  • Crenças individuais: criadas nas experiências individuais que tem;
  • Crenças sociais: geradas pela sociedade e reforçadas pela mídia.

Quer ou precisa de um exemplo?

Agora adulto, você resolve aprender a tocar piano, mas antes de começar, se lembra de um ponto.

De que nunca se deu bem no assunto música, seja somente ao escutar ou tentando tocar algum instrumento.

Dessa forma, involuntariamente, seu pensamento diz a você que é provável que não possui talento para tal e, portanto, não deveria começar a desenvolver essa habilidade agora.

Quando se trata de cuidar e controlar o dinheiro, não é diferente.

Se o que possui são experiências ruins com suas finanças, a probabilidade de que consiga se aprimorar nesse sentido é menor.

Mas para isso tudo não ser mais um incômodo para você nas finanças, existem algumas saídas.

No post “Como quebrar o tabu do dinheiro”, trouxemos com mais detalhes o que envolvem essas tais crenças e o que é possível fazer para não deixá-las atrapalhar a sua relação com o dinheiro.

Abaixo, reforçamos algumas dessas dicas, como:

  • Criar um mantra, dizendo para si mesmo que não há problema em ter dinheiro;
  • Desacelerar nas compras, dando tempo para suas finanças;
  • Definir um orçamento para gastar com diversão, reduzindo sua ansiedade.

Essas são só algumas das atividades que você pode colocar em prática para ajudar a deixar no passado seu problema com dinheiro.

Dinheiro com bons olhos

 

Se restringir à poupança

Muita utilizada até os dias de hoje, a poupança já não é mais tanto uma boa alternativa de investimento há algum tempo.

Quatro questões reforçam que se limitar a esse tipo de investimento não compensa, como:

  • O aniversário de depósito;
  • Rendimento;
  • Segurança;
  • Falta de diversificação de carteira.

O aniversário de depósito, por exemplo, mostra que o rendimento só é cumprido a cada 30 dias.

Ou seja, se você sacar em qualquer momento antes desse período, seus rendimentos podem não ser tão vantajosos quanto uma vez imaginou.

Quanto ao rendimento, a poupança possui um dos menores no mundo dos investimentos.

Então, quando se pensa principalmente no longo prazo, a diferença entre a poupança e qualquer outro tipo de investimento pode ser maior do que pensa e, assim, não agradar em relação à quantia que desejava ter.

Muitos também veem a poupança como uma alternativa de mais segurança, mas existem outras tão seguras quanto e que rendem mais, como: Tesouro Selic e CDBs.

Por último, grande parte das pessoas que investem em poupança se atém a essa opção.

Mas para quem pensa em uma rentabilidade cada vez maior nas finanças deve considerar uma carteira mais diversificada.

Por isso, vale muito a pena ter em mente vários ativos para se investir e, dessa forma, aumentarem seus ganhos.

Portanto, deixe a poupança em 2020 e aumente seu portfólio, não parando apenas na primeira aplicação que fizer.

 

Depois deste conteúdo, se você deseja começar 2021 com um equilíbrio financeiro muito maior, a Xpeed tem um curso muito especial para você.

É só clicar neste link!

Redação Xpeed

>>> Newsletter

Informações, análises e recomendações que valem dinheiro, todos os dias no seu email.