blog >>> Investimentos

Perfil de investidor: como se analisa e tipos

por Redação Xpeed 10/09/2021

Quando se decide entrar no mundo dos investimentos, bem capaz que o primeiro passo de quase todos seja o de descobrir o seu perfil de investidor.

É assim que, geralmente, se tem um ótimo pontapé inicial para continuar e cumprir com as etapas seguintes.

Hoje, falaremos desse assunto com mais aprofundamento para que consiga compreender qual é o seu perfil de investidor e como isso deve te ajudar nas próprias aplicações.

 

O que é perfil de investidor

O perfil de investidor é a resposta encontrada a partir de uma análise das nossas características em relação a investimentos, e principalmente ao risco envolvido.

Assim, é uma classificação que cada investidor ou pessoa que aplica seu dinheiro em um produto de investimento recebe, ligada ao risco que está disposto a assumir com suas aplicações.

Essa classificação define qual tipo de investidor você é além de ser uma exigência da CVM (Comissão de Valores Mobiliários), responsável por regulamentar todo o universo de investimentos.

Tal exigência está registrada na instrução de número 539 da CVM, que fala sobre a necessidade de as instituições financeiras oferecerem aos clientes os produtos de investimento adequados a cada perfil.

Por isso, grande parte dessas organizações que oferecem produtos de investimento – ainda mais corretoras de valores – fazem com seus clientes uma análise de perfil de investidor.

 

Como é feita a análise do perfil de investidor

De maneira simples, acontece por meio de um questionário a ser respondido.

Nele consta como base 3 requisitos:

  • Segurança;
  • Liquidez;
  • Rentabilidade.

A propósito, tais 3 requisitos também são conhecidos como tripé dos investimentos.

As perguntas respondidas no formulário, por sua vez, tentam mapear quais desses pilares são mais importantes para seu estilo.

“Por quê?”

Porque dificilmente haverá esses três aspectos, em altos níveis, na maioria dos investimentos – pelo contrário.

Desse modo, na hora de tomar uma decisão, é comum que você não conte com a segurança, ou com a liquidez ou com a rentabilidade para chegar aonde deseja com suas aplicações.

Ao deixar um desses três um pouco mais de lado, você já tem uma ideia bem melhor de qual é o seu perfil de investidor.

Com base no resultado, a instituição financeira em questão indica quais os produtos mais adequados para você ou outros clientes.

Curiosidade sobre o tema: além de conhecido como suitability no mercado financeiro, o perfil de investidor não é imutável.

Isso porque os investidores podem mudar de perfil ao longo do tempo, principalmente quando começam a ganhar mais experiência ao investir e conhecimento de como funciona esse setor.

 

Quais os perfis de investidor?

A Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais) define que existem 3 grandes tipos de perfil do investidor:

  • Conservador;
  • Moderado;
  • Arrojado/agressivo.

 

Conservador

Entre os três fatores do tripé dos investimentos, o investidor conservador tem mais apreço pela segurança e, assim, maior aversão ao risco.

Ou seja, na hora de fazer aplicações, prefere produtos que apresentem baixo ou nenhum risco.

Mesmo que isso signifique abrir mão de determinada rentabilidade, esse investidor procura obter ganhos reais com o menor risco possível.

Diante dessas características, os investimentos de renda fixa são os que chamam mais atenção para esse perfil conservador.

Isso porque os riscos apresentados nessa modalidade são baixos e existe uma certa previsibilidade de uma renda mensal.

Dessa forma, Tesouro Direto, CDBs, LCs, LCIs e LCAs, por exemplo, são alguns dos produtos de preferidos dessa categoria.

 

Moderado

Como se dá para notar pelo nome, esse perfil acaba sendo o ‘meio termo’ entre os perfis conservador e arrojado.

Por isso, esse investidor costuma correr um risco médio em suas aplicações.

Ele, geralmente, está disposto a assumir riscos um pouco maiores para ter uma rentabilidade também maior – mesmo assim, não dispensa certa segurança.

Na prática, então, o perfil moderado investe tanto em renda fixa, mais segura, quanto um bocado em renda variável.

Em grande parte, um investidor moderado já tem um pouco mais de conhecimento sobre o mercado e está no processo para fazer seu patrimônio crescer.

 

Arrojado (ou agressivo)

Investidores agressivos ou arrojados estão mais dispostos do que os dois perfis anteriores a correr riscos para ter maior rentabilidade.

Dessa forma, até estão abertos a perder parte de seu patrimônio em nome disso.

Aqui, esse investidor quase não pensa em renda fixa, então na sua carteira de investimentos a atenção está voltada em produtos de renda variável, como ações e opções.

Geralmente com uma postura mais madura para entender a dinâmica do mercado, o perfil arrojado acaba tendo inteligência emocional o suficiente para lidar com possíveis perdas nas aplicações.

Até baseado nisso, também costuma possuir um patrimônio maior, já que ajuda a preencher eventuais resultados negativos.

Botão Quero Aprender Tudo sobre Educação Financeira

Redação Xpeed

>>> Newsletter

Informações, novidades e conteúdos exclusivos diretamente no seu e-mail.