blog >>> Investimentos

Quais são os tipos de Tesouro Direto ideais para suas metas?

por Redação 22/10/2021

Está pensando em aplicar recursos com segurança, mas ainda não conhece as opções mais vantajosas? Então, você definitivamente chegou ao lugar certo! Neste artigo, falaremos quais são os tipos de Tesouro Direto para as metas de curto a longo prazo.

Por sinal, uma das grandes vantagens desta aplicação é saber antecipadamente qual será a remuneração. Mas lembre-se de que é fundamental considerar seu perfil e os objetivos do investimento, ok? 

Além de saber quais são os tipos de Tesouro Direto, é importante conhecer melhor este  programa do Tesouro Nacional. Para isso, assista ao vídeo do InfoMoney, que fala dos títulos prefixados, pós-fixados e indexados à inflação, assim como as taxas e impostos.

3 opções para escolher: quais são os tipos de Tesouro Direto?

Descobrir quais são os tipos de Tesouro Direto pode ser mais simples do que parece. Basicamente, são três modalidades para você considerar na sua estratégia de renda fixa, com base nos seus objetivos de curto a longo prazo. 

Em paralelo, você também pode se interessar pelo post das vantagens de investir no Tesouro Direto. Para adiantar, estamos falando de: praticidade, segurança, liquidez diária, rentabilidade e acessibilidade. 

E, sem mais delongas, vamos abordar as 3 opções de Tesouro Direto. Aliás, também citaremos os exemplos de preços e taxas que constam no portal do Tesouro Direto.

1. Prefixados

Como o nome diz, a taxa prefixada é definida no ato da aplicação. E isso vale para as Letras do Tesouro Nacional (LTN) e Notas do Tesouro Nacional – Série F (NTN-F) com juros semestrais. Nesse último, acontece o pagamento periódico da remuneração a cada seis meses.

Por ser prefixado, você saberá a rentabilidade futura no momento em que fizer a aplicação. Entretanto, o retorno será projetado conforme a data de vencimento do título, o que não se aplica aos resgates antecipados.

Exemplos de títulos prefixados, desde o Tesouro Prefixado 2024 até prazo de 2031: 

uais são os tipos de Tesouro Direto - Prefixado

2. Pós-fixados (Tesouro Selic)

Esses títulos pós-fixados são indexados à taxa Selic, sobre a qual falaremos logo adiante. Por ora, vamos focar no Tesouro Selic, visto que a Letra Financeira do Tesouro (LFT) costuma ser o primeiro passo de quem começa a investir no Tesouro Direto.

No caso, a rentabilidade do título varia conforme o desempenho do indexador e da taxa contratada. Aliás, esse é o título que tem o menor risco, caso seja necessário fazer uma venda antecipada.

Exemplos de títulos do Tesouro Selic, incluindo o Tesouro Selic 2024 e 2027:

uais são os tipos de Tesouro Direto - Selic

Bônus: o que é a taxa Selic?

A sigla significa Sistema Especial de Liquidação e Custódia. Ou seja, a Selic é a taxa básica de juros da economia, que é definida pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do Bacen. E isso impacta tanto no custo dos empréstimos e financiamentos, quanto no retorno dos investimentos, sabia?

3. Indexados à inflação (Tesouro IPCA+)

Nesse ponto, além do título ser indexado ao IPCA, também é adicionada uma taxa fixa para cada operação. No Tesouro IPCA+, temos a Nota do Tesouro Nacional Série B Principal (NTN-B Principal) e a Nota do Tesouro Nacional Série B com juros semestrais (NTN-B).

Exemplos de títulos do Tesouro IPCA+, com prazos de 2026 até 2055:  

uais são os tipos de Tesouro Direto - IPCA

Bônus: o que é o IPCA?

Por sua vez, o IPCA quer dizer Índice de Preços ao Consumidor Amplo, que tem tudo a ver com a inflação. Mensalmente, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mede o poder de compra da população em relação aos custos de certos produtos e serviços.

Como saber a remuneração do Tesouro Direto?

A rentabilidade varia conforme o título (pré ou pós-fixado), o prazo de vencimento e o fluxo de remuneração. Para facilitar, confira a tabela de rendimento da Bolsa de Valores B3, que é a parceira do Tesouro Nacional neste programa Tesouro Direto:

uais são os tipos de Tesouro Direto - B3

Quais são os tipos de Tesouro Direto indicados para cada perfil?

De modo geral, existem investidores conservadores, moderados e arrojados, também conhecidos como agressivos. Mas como saber quais são os tipos de Tesouro Direto que são indicados para cada pessoa?

Além de pensar nos perfis dos investidores, o Tesouro Nacional recomenda a consideração das metas pessoais. Nesse sentido, listamos as principais indicações que constam no site do governo.

Curto prazo: Tesouro Selic

De acordo com o programa governamental, o Tesouro Selic é ideal para quem tem metas  de curto prazo. Além disso, essas aplicações ajudam a formar uma reserva financeira para lidar com emergências.

Exemplos:

  • programar uma viagem com a família;
  • comprar um celular ou eletroeletrônico;
  • dar um start na reserva de emergência.

Médio prazo: Prefixados

Nessa linha, o Tesouro Nacional indica os títulos prefixados para quem tem objetivos de médio prazo. Em alguns casos, as metas podem se estender e chegar ao longo prazo, o que fica a seu critério.

Exemplos:

  • trocar seu carro por um híbrido;
  • cursar MBA ou pós-graduação;
  • fazer um mochilão pela Europa.

Longo prazo: Tesouro IPCA

Para finalizar, o portal do governo destaca que o Tesouro IPCA é compatível com a visão de longo prazo. Ou seja, os recursos ficarão alocados por tempo suficiente para obter o melhor custo-benefício para cada título.

Exemplos:

  • investir na compra da casa própria;
  • custear a faculdade dos seus filhos;
  • ter o capital inicial para abrir um negócio.

Até aqui, já deu pra perceber que não basta saber quais são os tipos de Tesouro Direto, certo? Para tomar decisões ainda mais assertivas, é essencial ampliar a base de conhecimento.

Para isso, que tal fazer um curso da Xpeed School com a Ana Laura Magalhães, do canal Explica Ana

E o melhor: com o apoio dos nossos experts, você vai além de saber quais são os tipos de Tesouro Direto. A nossa proposta é te auxiliar a construir um patrimônio lucrativo, já que você mesmo poderá montar uma carteira que mescla renda fixa com renda variável. Afinal, “não colocar todos os ovos na mesma cesta” é uma das regras mais famosas do universo dos investimentos.  

Enfim, se você quer “furar a bolha” e conquistar muito mais, saiba que nós estamos juntos nessa! A propósito, conte com os posts do blog e os vídeos do YouTube para entrar no clima da sua liberdade financeira.

E até a próxima!

Redação

>>> Newsletter

Informações, novidades e conteúdos exclusivos diretamente no seu e-mail.