blog >>> Planejamento

Reserva de emergência: o que é e como construir uma

por Redação Xpeed 16/07/2021

Uma reserva de emergência pode ser justamente o que você precisa para salvar contas de fim do mês ou em situação pontuais.

E, hoje, vamos abordar este assunto, de modo que entenda do que se trata e como botá-lo em prática.

 

O que é reserva de emergência

Trata-se daquele dinheiro guardado que pode preservar suas finanças depois de um período de aperto.

Esse valor é importante de se reservar para momentos de eventuais necessidades e imprevistos que, de vez em quando, aparecem – o que contribui para ter um futuro mais tranquilo.

Afinal, nunca se sabe quando imprevistos chegam, então se antecipar a eles é essencial para evitar cenários de dívidas.

 

Como criar uma

Antes de começar de fato a guardar dinheiro, ou seja, a preparar sua reserva, é preciso fazer um planejamento mais certeiro.

Nesse caso, o primeiro passo deve ser organizar as contas e entender o quanto você ganha de fato – descontados impostos – e o quanto gasta – nisso, inclua os gastos fixos, como aluguel e energia, e os gastos variáveis, como livros e roupas.

Assim, sabendo exatamente o quanto sai e entra no seu bolso, fica mais fácil planejar suas finanças e cortar custos desnecessários, por exemplo.

Agora, o passo seguinte é definir uma meta de valor para poupar todo mês.

Lembre-se: essa meta tem que ser realista e de acordo com as contas que você fez e do que de fato vai sobrar de dinheiro, ok?

Chegada a hora de aplicar o dinheiro, opte por aplicações que tenham mais proximidade com o seu perfil e seja da sua preferência.

Por fim, mantenha-se firme no planejamento para fazer sua reserva ser preenchida o quanto antes.

 

O valor da reserva de emergência

Geralmente, uma reserva deve ser preenchida com um valor que se equivale ao custo médio mensal da pessoa ou família multiplicado por 6, 8, ou até 12.

Esses números 6, 8 ou até 12 correspondem ao número de meses.

Isso porque, por exemplo, caso você perca um emprego, esse dinheiro guardado (representando 6, 8 ou 12 meses do seu custo médio mensal) contribui para que você siga conseguindo bancar seus gastos fixos durante esse período.

Exemplo prático…

Você precisa de R$ 2 mil ao mês para se manter com os pontos que mais necessita.

Neste caso, sua reserva de 6 meses precisa de R$ 12 mil no total.

Aliás, vale lembrar que não é preciso fazer a aplicação do valor total de uma única vez – muito pelo contrário.

Você pode poupar aos poucos, no ritmo que se sentir mais confortável, de acordo com o valor que estabeleceu durante o seu planejamento.

E a emergência e necessidade do dinheiro são estabelecidas por você, então é importante ter autocontrole e paciência para não gastar de forma desnecessária.

Isto é, nada de construir sua reserva de emergência para depois gastar com bens ou serviços supérfluos.

 

O melhor investimento para reserva de emergência

Como essa quantia guardada é para ajudar a solucionar casos de emergência, é melhor escolher investimentos que sigam esse perfil: em que o valor pode ser resgatado rapidamente.

Dessa forma, as principais características de uma aplicação adequada para a reserva de emergência costumam ter:

  • Segurança;
  • Liquidez;
  • Baixa volatilidade.

3 exemplos de investimentos de renda fixa que funcionam para a construção da reserva acabam sendo:

  • Tesouro Direto Selic;
  • Fundos de Investimento com prazo de resgate curtos (D+0 ou D+1);
  • CDB com liquidez diária e rendimento de mais de 100% do CDI.

Mas também outras opções, além dessas, podem ser ainda interessantes dependendo seu perfil de investidor.

Botão Quero Dar Meus Primeiros Passos no Mundo dos Investimentos

Redação Xpeed

>>> Newsletter

Informações, novidades e conteúdos exclusivos diretamente no seu e-mail.