blog >>> Educação financeira

O que é reserva de liquidez? Economize para emergências em 5 passos

por Redação 28/10/2021

Se teve uma coisa que a Covid-19 ensinou para o brasileiro foi a importância de se manter uma reserva de liquidez. Afinal, ninguém sabe quando irá se deparar com um imprevisto, uma demissão, doença na família ou mesmo uma pandemia, por isso, é preciso se preparar.

De acordo com uma pesquisa da fintech Neon, o número de brasileiros que declararam poupar para emergências subiu de 44% em abril de 2020, para 57% em junho de 2021, indicando um aprendizado importante.

Quer entender melhor o que é reserva de liquidez e como ela pode te manter longe das dívidas em momentos de dificuldade? Então, leia este post até o final e aprenda como fazer uma reserva de emergência, quanto juntar, onde deixar e quando usar.

O que é reserva de liquidez?

A reserva de liquidez, também conhecida como reserva de emergência, refere-se ao  dinheiro que você economiza ao longo do tempo, e serve para cobrir seus gastos diante de imprevistos que reduzem sua renda de forma repentina ou aumentam seu custo de vida, como no caso de uma demissão ou doença na família.

Essa aplicação deve ser prioridade para qualquer pessoa, uma vez que pode garantir sua subsistência durante um período de aperto, evitando que entre em dívidas. É por isso que as principais características desse tipo de investimento sempre devem ser: segurança e liquidez, daí o nome, reserva de liquidez.

O que significa liquidez nos investimentos?

O termo liquidez representa o nível de facilidade para o resgate de um investimento, ou seja, quanto tempo leva para que o investidor tenha o dinheiro disponível para uso. Quanto mais rápido for este processo, mais alta é a liquidez da aplicação. Por outro lado, quanto mais demorado, menor é a liquidez.

Como estamos falando de situações de emergência, precisamos que este dinheiro esteja disponível o quanto antes, por isso a reserva de emergência deve sempre ser aplicada em ativos de alta liquidez, como alguns CDBs, Tesouro Selic, Fundos DI ou mesmo na poupança, para que possam ser resgatados no menor tempo possível.

Digamos que você invista em imóveis. Diante de um imprevisto, mesmo vendendo abaixo do valor de mercado, ainda levará um tempo para receber o dinheiro. Já no caso das ações, é necessário esperar que valorizem para poder vender e obter lucro, do contrário, você perderá parte do investimento.

Qual a diferença entre reserva de emergência e reserva de oportunidade?

Muitos confundem reserva de emergência com reserva de oportunidade, o que é um grande equívoco.

Embora em ambos os casos estejamos falando de um montante de dinheiro economizado e aplicado em ativos seguros e com alta liquidez, são conceitos voltados para situações completamente diferentes, como você pode ver abaixo:

  • reserva de emergência – tem a função de te proteger das dívidas em uma possível situação de aperto;
  • reserva de oportunidade – tem como foco acumular dinheiro para aproveitar oportunidades que possam surgir, seja um investimento que se mostre vantajoso ou até mesmo a compra de um bem a um preço abaixo do mercado.

Qual é o valor indicado para uma reserva de emergência?

o que é reserva de liquidez

Não há como determinar um valor ideal, tendo em vista que cada pessoa apresenta um custo de vida diferente. No entanto, vale lembrar que o objetivo da reserva de liquidez é te ajudar a se manter até que você consiga reestruturar suas finanças pessoais, ou seja, é algo provisório, voltado para um momento pontual.

Até mesmo especialistas divergem no assunto, mas, em geral, recomenda-se que o valor de sua reserva de liquidez corresponda à soma de 3 a 12 meses do seu custo de vida (ou da sua família), considerando gastos fixos e variáveis.

Ou seja, se o custo médio de vida da sua família é de R$3 mil por mês, o ideal é que sua reserva de emergência some um valor entre R$9 mil — considerando um cenário de 3 meses — ou R$ 36 mil — o suficiente para manter os gastos por 1 ano.

Onde deixar a reserva de liquidez?

Aqui vale lembrar das principais características que você deve buscar em um investimento para deixar a sua reserva de emergência: alta liquidez e baixo risco. Aplicações com esses aspectos não terão um grande rendimento, mas a ideia é que sirvam somente para repor a inflação, evitando que você perca dinheiro.

Pensando nisso, dentre as aplicações mais indicadas para este fim, temos:

Algumas pessoas ainda são apegadas à poupança, mas é importante destacar que seu rendimento dificilmente cobre a inflação, o que significa que seu dinheiro perde parte do valor com o tempo. Não será um grande prejuízo, mas convenhamos, há opções melhores de investimento, como as que citamos acima.

Quando usar a reserva de emergência?

reserva de emergência

Como o próprio nome sugere, a reserva de emergência deve ser usada apenas em situações de emergência! Ela te ajudará a bancar suas contas em momentos em que você tiver uma redução repentina na sua renda, ou seja, caso você perca o seu emprego ou tenha qualquer tipo de despesa inesperada.

Tenha em mente que, se você ceder à tentação e usar esse dinheiro em situações supérfluas, como trocar de carro, reformar a casa ou fazer uma viagem, caso surja uma emergência, você já não poderá contar com este recurso.

Neste sentido, também é importante deixar claro que, caso utilize a reserva de liquidez, deverá repor o dinheiro assim que possível, mantendo o seu “colchão” de apoio financeiro em dia.

Como fazer uma reserva de liquidez?

A reserva de liquidez deve ser o primeiro investimento de qualquer pessoa e, sem sombra de dúvidas, um dos mais importantes. No entanto, muitos não sabem por onde começar. Mas não se preocupe, pois estamos aqui para te ajudar!

Confira os passos essenciais para quem quer construir uma reserva de emergência:

1. Analise seu orçamento e sua situação financeira

O primeiro passo é entender o seu orçamento. Some todas as suas fontes de renda e a das outras pessoas que dividem os custos com você.

2. Faça um levantamento do seu custo de vida mensal

O objetivo deste passo é descobrir quanto você e sua família gastam por mês. Para isso, anote todos os gastos da casa, tanto os fixos, como: aluguel, contas de água, luz, internet, gás, se tiver algum tipo de financiamento, etc, quanto os variáveis, que são aqueles gastos que mudam de um mês para o outro, como mercado, lazer, etc.

3. Corte gastos desnecessários

Sabe aquele velho pensamento: “vou começar a economizar quando sobrar algum dinheiro”? Então, a verdade é que, se depender disso, você não vai economizar, pois sem um planejamento, a gente simplesmente vai gastando e quando vê, passou mais um mês e não sobrou nada.

No passo anterior você anotou todos os gastos da sua família, ou seja, agora você tem em mãos uma ótima chance de identificar onde é possível economizar e cortar alguns supérfluos.

Aproveite cada oportunidade de economizar, pois assim será possível alcançar um melhor aproveitamento do orçamento familiar. Com isso, sobrará mais dinheiro para a sua reserva de emergência e, posteriormente, para seus demais investimentos.

No vídeo abaixo você confere 5 dicas práticas para te ajudar a economizar:

4. Defina uma meta de economia mensal

Sabendo qual é o custo de vida mensal da sua família e tendo em mãos o orçamento disponível, você deve estipular uma meta de economia mensal para começar a alimentar a sua reserva de liquidez.

Quanto tempo você quer que essa reserva dure em caso de necessidade? O ideal é pensar em um período de pelo menos seis meses, para que você tenha mais tempo para se restabelecer com tranquilidade.

Então, digamos que seu custo de vida mensal seja de R$ 2,5 mil e você queira fazer uma reserva para seis meses. Logo, seu objetivo será acumular R$ 15 mil. Se você conseguir economizar R$ 500 por mês, levará trinta meses para juntar essa quantia.

Mas é claro que tudo depende do seu objetivo e de quanto você consegue reservar por mês, então, faça as contas e economize!

5. Invista sua reserva de emergência

O último passo de como fazer uma reserva de liquidez é finalmente definir onde investir esse dinheiro, afinal, se você deixar na caderneta de poupança ou debaixo do colchão, perderá parte do seu valor para a inflação.

Como mencionamos anteriormente, entre as melhores formas de investimento para sua reserva de emergência estão: Tesouro Selic, CDBs com liquidez diária e fundos DI. Estude as opções e encontre a que faz mais sentido para o seu caso.

Ainda tem alguma dúvida sobre como fazer uma reserva de emergência? Então, confira o vídeo abaixo, no qual explicamos tudo direitinho:

Comece a investir na sua reserva de liquidez hoje mesmo!

A reserva de liquidez é o primeiro passo para a liberdade financeira, uma vez que ela te resguarda de possíveis imprevistos que acabariam te colocando em dívidas, permitindo que você tome decisões financeiras com mais segurança e tranquilidade.

Com a reserva de emergência em dia, você pode buscar outras formas de investir o seu dinheiro, com o objetivo de seguir aumentando seu patrimônio.

Não sabe por onde começar? Confira nosso curso: Primeiros Passos no Mundo dos Investimentos. Nele, você aprende tudo o que é preciso para começar com o pé direito. Clique no banner abaixo e faça sua inscrição agora mesmo!

Imagem da campanha de um curso online sobre "Os primeiros passos no Mundo dos Investimentos" da Xpeed School.

Redação

>>> Newsletter

Informações, novidades e conteúdos exclusivos diretamente no seu e-mail.