blog >>> Investimentos

Tudo sobre Small Caps: o que é, vantagens, desvantagens e como escolher

por Redação Xpeed 27/04/2022

Os investidores da Bolsa estão sempre em busca de oportunidades para aumentar o capital. Isso frequentemente significa apostar em empresas não tão conhecidas e com valor de mercado não tão significante. Embora isso acenda o alerta para risco, as Small Caps também são o caminho para uma carteira rentável.

Se você pensa em compor sua estratégia com empresas com essa característica, saiba que entender o conceito e funcionamento é fundamental para fazer escolhas mais estratégicas e menos arriscadas. Neste artigo nós reunimos tudo o que você precisa saber sobre as Small Caps e os passos de como escolher em uma para investir.

O que são Small Caps?

Mesmo quem conhece pouco do dicionário financeiro ou é novo na Bolsa provavelmente já ouviu falar sobre as Small Caps. Se não é o seu caso ou se você não sabe o suficiente, nós explicamos.

Quando se fala em Bolsa de Valores, é comum pensar em empresas como Vale e Petrobras. Afinal, elas têm grande importância para o país e suas ações refletem no índice da B3. Mas não são só essas companhias de grande porte que estão listadas no mercado. E é desse outro lado em que estão as Small Caps.

Basicamente, as Small Caps são ações negociadas na Bolsa de Valores que têm menor valor de mercado – ou baixa (small) capitalização (caps). Isso significa que a negociação desses papéis é menor. Mas não pense que isso também é sinônimo de uma empresa desconhecida ou recém-criada. Pelo contrário, muitas empresas classificadas como small cap são conhecidas por todo o país.

>>> E já que o assunto é ação, que tal conferir tudo o que você precisa saber para apostar nesse mercado? É só dar play no vídeo abaixo que a Clara Sodré revela:

Como funciona uma Small Caps?

Agora que você já sabe que as Small Caps são as ações de baixo valor de mercado negociadas na Bolsa, saiba que existem outras características que as classificam assim. São elas:

  • Menor liquidez e cobertura pelo mercado
  • Maior risco, mas maior potencial de retorno
  • Maior volatilidade

Agora falando sobre valores, não existe uma quantia fixa que define o quanto de faturamento ou de volume de negociação torna uma empresa uma small cap. Isso faz com que cada investidor ou instituição financeira crie sua própria referência. Entretanto, boa parte do mercado costuma adotar a seguinte variação:

  • Faturamento: entre R$ 500 e R$ 5 bilhões
  • Valor de mercado: entre R$ 300 milhões e R$$ 2 bilhões
  • Volume de negociação diário: abaixo de R$ 50 milhões

Embora esses valores pareçam altos, veja o comparativo com o valor de mercado da Petrobras em março de 2022: R$ 437 bilhões. Mas não se engane em pensar que essa diferença joga contra as empresas de baixa capitalização. É justamente essa característica que abre possibilidades para que elas tenham maior potencial de valorização e crescimento.

Por fim, considerando que o valor de mercado é o dado mais usado para avaliar esse tipo de empresa, qual é o cálculo usado para defini-lo? Veja:

Valor de mercado (VM) = número de ações emitidas x cotação

Lembrando que as Small Caps não são necessariamente empresas novas. Muitas delas estão no mercado há um certo tempo, mas apenas não ocupam a liderança ou destaque de seus setores – ou, ainda, estão posicionadas em setores de menor expressão.

Como investir em Small Caps?

Agora que você conhece o conceito e características das Small Caps, que tal considerar inclui-las em seu portfólio?

Se você ainda é novo no mercado, o primeiro passo é escolher uma boa corretora de valores para intermediar seu capital e os investimentos disponíveis. Entretanto, se você já avançou essa fase, vamos falar sobre como investir em Small Caps.

Como uma das primeiras definições sobre esse tipo de empresa é a baixa liquidez ou alta volatilidade, é comum pensar que elas estão restritas a papéis na Bolsa de Valores. Na verdade, esse mercado é amplo e você pode escolher qual opção de investimento melhor se adequa às suas estratégias.

>>> Entender como se formam os preços dos ativos é fundamental para quem quer fazer escolhas mais inteligentes na Bolsa. E esse conhecimento você pode ter agora mesmo, é só fazer o download do e-book abaixo:

Imagem da campanha de um livro digital gratuito com o tema "Como se formam os preços dos ativos" da Xpeed School.

Ações

Antes de falar sobre outras possibilidades, é importante destacar a principal delas: as ações. Quando você compra papéis de uma empresa através da Bolsa, se torna sócio e recebedor dos lucros gerados. É claro que assim como qualquer modalidade de investimento, essa não traz promessas de ganhos. É por isso que entender e analisar o mercado é importante. Assim, você aumenta as chances de escolher empresas com maior potencial.

Com relação as ações Small Caps, estamos falando de papéis com menor volume de negociação e alta volatilidade, ou seja, com altas e quedas nos preços. Ainda assim, o fato de serem empresas com menor volume de mercado fazem com que sejam uma boa aposta.

ETFs

Também negociados na Bolsa, os ETFs (Exchange Traded Fund) são uma espécie de fundo de investimento. É uma maneira de apostar em ações, mas de não deixar de olhar para outras possibilidades do mercado também.

Falando especificamente sobre os ETFs de Small Caps, eles são compostos por diversas empresas com essa classificação. Assim, o investidor mantém sua estratégia ao mesmo tempo em que diversifica em suas opções.

Falando sobre ganhos, eles são pautados pelo desempenho de um conjunto de empresas. Na B3, é o SMALL 11, um ETF que representa o índice de Small Caps, o SMLL, dedicado a apresentar o desempenho médio de ações com menor capitalização.

Entre as exigências que determinam que uma empresa seja listada no SMLL estão a presença em 95% dos pregões e em 99% dos mais negociados e que não tenham cotação inferior a R$ 1.

Fundos

Já se você prefere contar com a ajuda de um profissional especializado para cuidar do seu capital, pode optar pelos fundos de Small Caps. Neles, um gestor de fundos analisa e define as melhores oportunidades de investimento para as quais direcionar a sua carteira.

Lembrando que fundos de investimento cobram taxas pela administração do dinheiro e esforço aplicado. Mas se você não tem tempo para se aprofundar em análises, essa pode ser uma boa alternativa.

Principais ações Small Caps?

Considerando que as características das Small Caps são bastante abrangentes, existem muitas opções disponíveis na Bolsa de Valores. Se você já está decidido a investir em uma ou mais delas, mas quer um direcionamento, veja abaixo quais são os principais papéis negociados atualmente:

Locaweb (LWSA3)

Uma das empresas mais conhecidas de hospedagem de sites e e-mail, a Locaweb estreou na B3 em 2020. No mesmo ano, registrou uma alta de mais de 300% e atualmente é considerada por muitos analistas como uma promessa.

ClearSale (CLSA3)

Dedicada a oferecer soluções contra fraudes no comércio eletrônico, a ClearSale surfa na onda da digitalização. No primeiro trimestre de 2021, registrou um lucro líquido de R$ 13,8 milhões.

Sinqia (SQIA3)

A Sinqia é uma fintech cujo foco está na produção de softwares e soluções inovadoras para o setor financeiro. Hoje ela atua em quatro frentes de software: bancos, consórcios, fundos e previdência e duas de serviço: consulting e outsourcing, representando 10% de market share.

Gol (GOLL4)

Uma das principais empresas aéreas do país, a Gol sofreu os impactos provocados pela pandemia ao setor. Ainda assim, ela faz parte do índice SMLL e é uma promessa para o futuro financeiro.

Petz

O mercado pet também tem participação na bolsa com a Petz. A companhia registrou um aumento de quase 40% ainda durante a pandemia, além de ocupar a posição de maior IPO do ano, quando abriu seu capital em 2020.

Diferenças entre Small Caps e Blue Chips

Blue Chips também é um termo bastante comum no mercado financeiro. O que nem todo mundo sabe é que esse é um título relacionado a outro: Large Caps.

Se você sabe o mínimo da língua inglesa, já percebeu que as Blue Chips – ou Large Caps – são o oposto das Small Caps. Mas o que as diferencia?

Basicamente, a capitalização. Papéis que têm mais oferta que procura costumam ter cotações mais baixas e vice-versa. Esse comportamento é decorrente de outra característica comum desse tipo de papel: a fama. Empresas populares tendem a ter maior liquidez.

As principais características das Blue Chips – e que as colocam em oposição às Small Caps são:

  • Alta geração de caixa
  • Alto valor de mercado
  • Baixa volatilidade
  • Maior estabilidade
  • Maior visibilidade
  • Alto volume de negociação

As empresas Blue Chips são frequentemente consideradas como opções seguras e rentáveis de investimento.

Valor de mercado

Enquanto as Small Caps têm uma margem no valor de mercado que as define assim, as Blue Chips não possuem teto. Assim, se enquadram nelas as empresas mais valiosas da Bolsa, que possuem forte geração de caixa e um crescimento constante. Para se ter uma ideia, além da Petrobrás, que já citamos, o valor da Ambev, outra Blue Chip conhecida, é de R$ 232 bilhões.

Dividendos

Por terem relevância e estabilidade no mercado, as empresas de grande capitalização distribuem dividendos aos seus investidores. Essa é uma das principais características que diferenciam as Small Caps das Blue Chips.

Liquidez

Como já dissemos, a popularidade dos papéis relacionados a empresas conhecidas aumenta a liquidez. Assim, a negociação do ativo no mercado acontece sem preocupações, evitando prejuízos na carteira.

Transparência

A consolidação dessas empresas no mercado também facilita a transparência na gestão e projeção de resultados. Por essa estabilidade, os investidores contam com uma condição mais segura.

Quais os riscos de investir em Small Caps?

Pelo fato de não estarem totalmente consolidadas em seus mercados, um dos maiores riscos de apostar nas Small Caps é a vulnerabilidade. O que isso significa: que as mudanças no cenário econômico do país podem causar prejuízos ao papel, impedindo seu crescimento ou causando dívidas.

Exemplo de risco é a pandemia causada pela Covid-19, que desacelerou a economia e refletiu diretamente no mercado financeiro, assim a variação da Selic, que aumentou o custo de dívida de muitos negócios.

Uma outra desvantagem que já citamos neste arrigo é a volatilidade. A cotação desses papéis pode variar consideravelmente para mais ou para menos. Nestes casos, o investidor deve se manter calmo e consciente sobre os riscos e oportunidades de cada ativo.

E as vantagens?

Embora as Blue Chips sejam sinônimo de segurança, a rentabilidade pode não ser tão atraente para o investidor. A razão é simples: ao mesmo tempo em que empresas já consolidadas têm pequenas chances de surpreenderem negativamente, elas também não têm margem para crescerem vertiginosamente.

Por outro lado, as Small Caps ainda apresentam grandes chances em seus mercados. Isso aumenta consideravelmente suas chances de romperem cotações e gerarem bons lucros a seus investidores.

Falando em cotação, é comum que a precificação dos papéis de Small Caps esteja errada. Ou seja, eles estão sendo negociados por menos do que, de fato, valem – o que é uma oportunidade para qualquer investidor que deseja aumentar seu patrimônio.

Como escolher Small Caps?

A primeira resposta para essa pergunta é: a partir do seu perfil de investidor. Embora uma das principais características das Small Caps seja o risco, alguns papéis oferecem menos vulnerabilidade que outros. Por isso, é importante entender quais são as melhores oportunidades dentro das suas estratégias como investidor.

Tendo esse entendimento, o fator mais importante para escolher uma empresa é a análise de seus indicadores. Lembrando que aqui é preciso levar em consideração uma companhia em crescimento. E o que pode ser considerado? Sua governança, o modelo de negócio, setor de atuação, resultados anteriores e projeções para o futuro.

Evite fazer comparações entre empresas, em especial se elas estiverem classificadas de maneira diferente. Outro ponto importante é entender com clareza quais são os cuidados e oportunidades existentes dentro de um mesmo lugar: o risco.

Veja 5 passos importantes para você montar uma carteira de Small Caps:

  1. Defina seus objetivos
  2. Faça uma análise das opções disponíveis, considerando seus objetivos e as oportunidades
  3. Diversifique seu portfolio
  4. Acompanhe as análises e notícias do mercado
  5. Estude sem parar

>>> E falando em estudo, uma das análises mais importantes que devem ser dominadas por quem quer apostar nas Small Caps é a fundamentalista. Com ela, você estuda a situação financeira e as perspectivas de uma empresa. Quer dominar esse universo? No curso de Análise Fundamentalista da Xpeed você aprende a identificar os futuros vencedores da Bolsa. É só clicar no banner abaixo para se inscrever!

Campanha de um curso online sobre "Análise Fundamentalista: Identifique os Futuros Vencedores da Bolsa" da Xpeed School.

Redação Xpeed

>>> Newsletter

Informações, novidades e conteúdos exclusivos diretamente no seu e-mail.