blog >>> Investimentos

Top 5 vantagens de investir em Tesouro Direto para começar hoje!

por Redação 22/10/2021

Já pensou em aplicar recursos com segurança, por meio de uma plataforma digital? Por acaso, você está em busca de títulos que têm boa rentabilidade e liquidez diária? Então, chegou a hora de conhecer as cinco vantagens de investir em Tesouro Direto.

Primeiramente, vamos falar sobre o que é Tesouro Direto. Nesse programa do Tesouro Nacional, os títulos públicos federais são vendidos para as pessoas físicas. Por sinal, isso democratiza o acesso aos investimentos, pois as aplicações podem ser feitas com R$ 30.

Em outras palavras, a acessibilidade é uma das vantagens de investir em Tesouro Direto. Logo, a dica é conferir o vídeo da professora da Xpeed School, Clara Sodré, que mostra como é fácil se tornar um investidor. Dessa forma, você vai conhecer os quatro passos para sair da poupança e, finalmente, aplicar em renda fixa. 

5 vantagens de investir em Tesouro Direto

A seguir, listamos cinco vantagens de investir no Tesouro Direto, para você que está entrando agora no mundo dos investimentos ou quer ampliar suas opções. Afinal, é importante refletir sobre o custo-benefício e analisar se ele está alinhado com os objetivos e o perfil do investidor.  

1. Praticidade do processo 100% digital

As aplicações e os resgates são feitos em um processo 100% digital, sem precisar sair do conforto da sua casa. Seja pelo site do Tesouro Direto ou via plataforma da corretora (como a XP), tudo acontece online. 

Sendo assim, você poderia começar a investir hoje mesmo, se esse tipo de investimento te interessar, claro. Para isso, basta acompanhar os títulos que são disponibilizados diariamente no sistema eletrônico, tanto para a compra, quanto para a venda.

2. Investimento assegurado pelo Tesouro Nacional

Se o quesito segurança é relevante para você, saiba que essas aplicações têm baixíssimo risco de “calote”. Como são títulos públicos federais, tais investimentos são garantidos pelo Tesouro Nacional. 

Aliás, cabe ressaltar que o Tesouro Nacional é vinculado ao Ministério da Fazenda, do Governo Federal. Além disso, o programa é realizado em parceria com a Bolsa de Valores do Brasil, a B3.

3. Liquidez diária com resgate D+0

A liquidez diária é um atrativo do Tesouro Direto, já que o resgate acontece em D+0. Sim, isso mesmo: você pode receber seu dinheiro de volta no mesmo dia em que fez o resgate. Porém, o prazo de pagamento passa para D+1, conforme o dia e o horário da solicitação.

Por outro lado, é vital pensar duas vezes antes de fazer o resgate, devido à tributação. Se optar por manter os recursos aplicados, o Imposto de Renda (IR) será cobrado no vencimento do título. Enquanto isso, o dinheiro continua rendendo juros para você.

4. Rentabilidade

No ato da aplicação, o investidor já sabe qual será o retorno do seu investimento. Com isso em mente, a remuneração do Tesouro Direto é outro ponto fundamental para orientar a tomada de decisão

Nessa perspectiva, é preciso considerar as seguintes variáveis:

  • títulos prefixados (remuneração definida na contratação) ou pós-fixados (taxa  vinculada a um indexador, a exemplo do IPCA). E mais: alguns títulos são híbridos: uma parte da taxa é prefixada e outra é pós-fixada, como: IPCA + 4% a.a.;
  • prazo de vencimento: certos papéis podem ser resgatados em curto prazo. Em contrapartida, se você optar por um título de longo prazo e precisar resgatar antes do vencimento, pode haver o deságio;
  • fluxo de remuneração: novamente, o pagamento depende do que for contratado. Como exemplo, o Tesouro IPCA+ tem a opção de juros semestrais. De acordo com a B3, essa identificação seria: Tesouro IPCA+ Juros Semestrais 20XX (NTN-B).

Por falar nisso, temos outro post que fala justamente sobre os tipos de remuneração do Tesouro Direto. Neste artigo, você vai conferir diferentes modalidades para diversificar a carteira e, assim, obter a melhor relação entre risco e retorno.

5. Acessibilidade

Como já mencionamos, a acessibilidade é uma das grandes vantagens de investir em Tesouro Direto. Ou seja, este programa governamental ampliou o acesso da população aos investimentos. Isso porque a aplicação pode ser feita com apenas R$ 30, sabia?

Bônus: existem desvantagens no Tesouro Direto?

Vale lembrar que o Tesouro Direto também tem suas desvantagens, inclusive:

  • se a venda de um título acontece antes da data de vencimento, isso pode levar ao prejuízo. Portanto, considere o objetivo de uso dos recursos antes de fazer uma aplicação;
  • assim como no item anterior, o prazo é um fator determinante para os impostos e as taxas. Por exemplo: Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), IR, taxa de custódia e outros; 
  • todo o processo acontece em um ambiente digital. Logo, essa é uma opção destinada a quem está disposto a gerenciar a carteira pela internet. Entretanto, algumas corretoras de investimentos também fazem consultoria para seus clientes;
  • a rentabilidade da renda fixa não é tão atrativa quanto a da renda variável. Nesse caso, não deixe de pesquisar outras opções de alocação de ativos para o seu perfil. 

E, se quiser se aprofundar nos estudos de investimento, aprendendo como aplicar o seu dinheiro em renda variável, conheça nosso e-book Guia da Bolsa para Investidores:

Imagem da campanha de um livro digital gratuito com o tema "Guia da bolsa para Investidores" da Xpeed School.

Vantagens de investir em Tesouro Direto por perfil de investidor

Será que as vantagens de investir em Tesouro Direto são voltadas apenas para os perfis conservadores? Pois bem, continue com a gente para descobrir como isso também se aplica aos diferentes perfis de investidores.

1. Conservador

Não é novidade que os títulos do governo costumam ser visados por quem tem um perfil avesso aos riscos. Nesse sentido, algumas opções são: Tesouro Direto, CDBs, LCIs, LCAs e afins.

No caso do Tesouro Direto, a segurança é uma das principais vantagens para quem é conservador. Mas isso não significa que o retorno seja baixo, visto que a rentabilidade geralmente é maior do que a obtida no CDB, por exemplo. 

2. Moderado

Como o próprio nome já diz, o perfil moderado fica no meio termo entre o conservador e o arrojado, certo? Pensando nisso, os ativos de renda fixa tendem a fazer parte dessa carteira, juntamente com os papéis de renda variável.

Ainda que os moderados sejam mais tolerantes às oscilações do mercado, o Tesouro Direto reduz esses riscos. Em linhas gerais, tais investidores buscam o equilíbrio entre a segurança e a remuneração.

3. Arrojado ou agressivo

Por incrível que pareça, as vantagens de investir em Tesouro Direto também se aplicam aos perfis mais arrojados. Nesse ponto, estamos falando da importância de diversificar a sua carteira, isto é, transitar entre as diferentes classes de ativos. 

Os investidores arrojados entendem que, dessa maneira, podem-se diluir os riscos e, ao mesmo tempo, otimizar o retorno sobre os investimentos. Contudo, tenha em mente que é essencial traçar uma estratégia assertiva, com base nos seus objetivos de curto, médio ou longo prazo, ok?

E, agora que você conhece as vantagens de investir em Tesouro Direto, que tal continuar apostando nisso? Aqui na Xpeed, temos um amplo leque de cursos, artigos e vídeos que contribuem para ampliar (ainda mais) a sua base de conhecimento.

A propósito, preparamos a trilha Xpeed para te ajudar nessa missão! Assim, ficará muito mais fácil encontrar diversos conteúdos que te aproximam das suas próximas conquistas! 

Até mais!

Redação

>>> Newsletter

Informações, novidades e conteúdos exclusivos diretamente no seu e-mail.